Paz

 

 

A paz só será possível, se, um dia, não mais houver nações.

 

 

Há uma paz que apodrece: a paz da conformação. 

 

 

Nunca se aceite a paz estéril. A paz capada dos bois. 

 

A paz é a consciência de que, essencialmente, só somos necessários a nós mesmos.

 

 

A paz depois da guerra

é o silêncio dos mortos

e o espanto mudo dos vivos.

 

 

Só o amor e a felicidade podem proporcionar a paz ao mundo. Ninguém é violento quando ama e está feliz. Mas o desamor, a infelicidade, a ambição guindadas ao poder são obstáculos que impedem a paz no mundo.

 

 

O que nos mantém plenamente vivo, não é a paz, mas o desafio. A paz ininterrupta leva-nos à inércia, à paralisia e à insensibilidade.

 

A paz tem maior garantia de estabilidade quando os adversários se temem mutuamente, porque sabem que suas forças se equilibram, e a vitória de um deles é dúbia.