George Bernard Shaw (1856-1950)

 

VRB – Um dos grandes problemas do ser humano é a conciliação entre a liberdade e a responsabilidade.

 

George Bernard Shaw – Liberdade significa responsabilidade. É por isso que tanta gente tem medo dela.

 

VRB – O mercado de trabalho tem levado as pessoas, cada vez mais, a especializar-se em um determinado ramo do conhecimento. O processo parece irreversível face à complexidade da vida moderna. Assim, o especialista, incrustado no detalhe, perde a visão do todo.

 

George Bernard Shaw – O especialista é um homem que sabe cada vez mais sobre cada vez menos, e por fim acaba sabendo tudo sobre nada.

 

VRB – O que de pior pode um ser humano fazer ao seu semelhante?

 

George Bernard Shaw – O pior pecado contra nosso semelhante não é o de odiá-los, mas de ser indiferentes para com eles.

O silêncio é a mais perfeita expressão do desprezo.

 

VRB – Tudo está em mudança apesar da força inercial. Por isso, o que chamamos de progresso é a vitória sobre a inércia cultural e psicológica.

 

George Bernard Shaw – O progresso é impossível sem mudança. Aqueles que não conseguem mudar as suas mentes não conseguem mudar nada.

 

VRB – Há muitas formas de escravidão. A escravidão consiste na obrigação de alguém trabalhar apenas para garantir a própria sobrevivência e/ou de sua família.

 

George Bernard Shaw – A escravatura humana atingiu o seu ponto culminante na nossa época sob a forma do trabalho livremente assalariado.

 

VRB – A demografia, apesar de seus defeitos, parece o melhor regime para um país.

 

George Bernard Shaw – A democracia muitas vezes significa o poder nas mãos de uma maioria incompetente.

 

VRB – Você casou, teve filhos. O que pensa sobre a vida em família?

 

George Bernard Shaw – Do modo como a concebemos, a vida em família não é mais natural para nós do que uma gaiola é para um papagaio.

 

VRB – O homem é um ser racional, ou, às vezes, racional. Por isso, afirma-se que a razão é a única forma de o ser humano resolver seus problemas.

 

George Bernard Shaw – A razão escraviza todas as mentes que não são suficientemente fortes para a dominarem.

 

VRB – No seu entender, qual a coisa mais importante do mundo?

 

George Bernard Shaw – O dinheiro é, na verdade, a coisa mais importante do mundo; e toda a moralidade sólida e bem sucedida, pessoal ou nacional, deverá basear-se neste fator.

A falta de dinheiro é a raiz de todo o mal.

 

VRB – Você dá crédito aos economistas? De certo modo, eles equivalem aos videntes em suas previsões muitas vezes incorretas.

 

George Bernard Shaw – Se todos os economistas fossem postos lado a lado, nunca chegariam a uma conclusão.

 

VRB – Penso que mais importante do que pensar é imaginar.

 

George Bernard Shaw – Imaginar é o princípio da criação. Nós imaginamos o que desejamos, queremos o que imaginamos e, finalmente, criamos aquilo que queremos.

 

VRB – O lúdico é importante para o ser humano. Cada pessoa tem o seu modo de brincar, mesmo com as coisas mais sérias.

 

George Bernard Shaw – A minha forma de brincar é dizer a verdade. É a brincadeira mais engraçada do mundo.

 

VRB – As perversões sexuais sempre é um tema atual, principalmente na nossa época. Na sua opinião, qual delas é a pior?

 

George Bernard Shaw – De todas as perversões sexuais a castidade é a mais perigosa.

 

VRB – As religiões são tidas como tábuas de salvação para a humanidade, embora não saibamos do que elas podem nos salvar.

 

George Bernard Shaw – Todas as religiões são conspirações contra os profanos.

 

VRB – Os homens de ação são mais prestigiados pela sociedade do que os são teóricos. São eles, diz-se, que realmente transformam o mundo.

 

George Bernard Shaw – Quem pode, age. Quem não pode, ensina.

As pessoas que sobem neste mundo são as pessoas que se levantam e procuram o que querem, e que, se não o encontrarem, fazem-no.

 

VRB – As pessoas pensam que a felicidade é algo que se conquista. E cada uma delas tem a sua maneira de conquistá-la. Candidamente, elas esperam que a felicidade é para sempre.

 

George Bernard Shaw – Uma vida inteira de felicidade! Nenhum homem vivo conseguiria.

 

VRB – As pessoas ditas sensatas são aquelas bem adaptadas às normas e valores da sociedade.

 

George Bernard Shaw – O homem sensato adapta-se ao mundo. O homem insensato insiste em tentar adaptar o mundo a si. Sendo assim, qualquer progresso depende do homem insensato.

 

VRB – Há filósofos e místicos que combatem o desejo, porque ele é um empecilho à libertação.

 

George Bernard Shaw – Enquanto tiveres um desejo, terás uma razão para viver. A satisfação é a morte.

 

VRB – Na sociedade competitiva moderna, os indivíduos aspiram ao sucesso. Cada um tem a sua fórmula. E sobre o tema há muitos livros de auto-ajuda.

 

George Bernard Shaw – O segredo do sucesso é ofender o maior número de pessoas.

 

VRB – Você acredita no regime democrático apesar de todas as suas mazelas?

 

George Bernard Shaw – A democracia é apenas a substituição de alguns corruptos por muitos incompetentes.

 

VRB – A juventude é a fase mais saudosa da vida, quando estamos velhos.

 

George Bernard Shaw – A juventude é uma coisa maravilhosa. Que pena desperdiçá-la em jovens.

 

VRB – Faz ao teu próximo o que querias que ele lhe fizesse. É um conselho que sempre encantou as pessoas. Tal preceito é aplicável em todas as situações?

 

George Bernard Shaw – Não faças aos outros o que gostarias que te fizessem a ti. O gosto deles pode não ser o mesmo.

 

VRB – Para muitas pessoas, o futuro é uma permanente preocupação. Nem na velhice essa preocupação se ameniza.

 

George Bernard Shaw – Temos tempo bastante para pensar no futuro quando já não temos futuro em que pensar.

 

VRB – Costuma-se pensar que a vida tem o seu lado bom e o seu lado mau. No meu entender, bem e mal são interpretações pessoais sobre os fatos que, de modo direto ou indireto, nos afetam.

 

George Bernard Shaw – Não há um lado mau da vida: a vida é una.

 

VRB – A ciência não apenas propõe problemas, mas também busca soluções para eles.

 

George Bernard Shaw – A ciência nunca resolve um problema sem criar pelo menos outros dez.

 

VRB – A descoberta de verdades, que contrariam postulados e paradigmas consagrados, é sempre um acontecimento que desperta a hostilidade ou a desconfiança nas pessoas.

 

George Bernard Shaw – Todas as grandes verdades começam por ser blasfêmias.

 

VRB – A dança não parece ser apenas uma expressão estética, mas algo que transcende a habilidade corporal.  Uma espécie de transe que nos parece ampliar a visão da realidade.

 

George Bernard Shaw – A dança é uma tentativa muito rude de penetrar no ritmo da vida.

 

VRB – Jesus teria dito que se alguém nos bater em um dos lados da nossa face, deveremos oferecer-lhe o outro.

 

George Bernard Shaw – Cuidado com o homem que não devolve a bofetada. Ele não a perdoou, nem permitiu que você se perdoasse.

 

VRB – Acredita-se que as pessoas aprendem com as suas experiências.

 

George Bernard Shaw – Aprendemos com a experiência que os homens nunca aprendem com a experiência.

 

VRB – E a sabedoria?

 

George Bernard Shaw – A sabedoria dos homens é proporcional não à sua experiência, mas à sua capacidade de adquirir experiência.

 

VRB – No Ocidente, há três grandes religiões: o Judaísmo, o Cristianismo e o Islamismo. Qual delas lhe parece mais próxima da verdade?

 

George Bernard Shaw – Há uma única religião, embora haja centenas de versões da mesma.

 

VRB – Vivemos em uma época em que o capitalismo parece cada vez mais forte por mais que seja combatido e acoimado de selvagem por prestigiar a competitividade e o individualismo.

 

George Bernard Shaw – Sem compreendermos o capitalismo não podemos compreender a sociedade humana da maneira que ela atualmente existe.

 

VRB – No seu entender, quais são os fatores que mais prejudicam a mente e o corpo?

 

George Bernard Shaw – A ansiedade e o medo envenenam o corpo e o espírito.

 

VRB – Embora as pessoas busquem a felicidade, há algumas que parecem ter uma incrível inaptidão para isso.

 

George Bernard Shaw – O segredo para ser infeliz é ter tempo livre para se preocupar se se é feliz ou não.

 

VRB – O tempo livre é a ocasião para o exercício da liberdade. Mas, poucas são as pessoas que sabem aproveitá-lo para estimular a sua criatividade.

 

George Bernard Shaw – Tempo livre não significa repouso. O repouso, como o sono, é obrigatório. O verdadeiro tempo livre é apenas a liberdade de fazermos o que queremos, mas não de permanecermos no ócio.

 

VRB – O patriotismo é um dos grandes obstáculos para a paz entre os povos.

 

George Bernard Shaw – O mundo jamais será tranqüilo enquanto não se extinguir o patriotismo da raça humana.

 

VRB – O ódio é o pior sentimento que uma pessoa alimenta contra o seu semelhante. No entanto, quem odeia é sempre prejudicado pelo seu próprio veneno.

 

George Bernard Shaw – O maior pecado para com os nossos semelhantes, não é odiá-los mas sim tratá-los com indiferença; é a essência da desumanidade.

 

VRB – Muitos de nós somos consumidores compulsivos, condicionados pelas estratégias da mídia. Até a felicidade pode tornar-se um bem de consumo.

 

George Bernard Shaw – O nosso direito de consumir felicidade sem produzi-la não é maior do que o de consumir riquezas sem produzi-las.

 

VRB – Os teólogos ensinam que a virtude é a vitória sobre a tentação.

 

George Bernard Shaw – A virtude não passa de tentação insuficiente.

 

VRB – Mas, para você, o que é a virtude?

 

George Bernard Shaw – A virtude consiste não só em abster-se do vício, mas também em não o desejar.

 

VRB – As escolas apenas preparam as pessoas para o mercado de trabalho. Faltam escolas que se destinem a preparar os alunos para a vida e as relações interpessoais.

 

George Bernard Shaw – As nossas escolas ensinam a moral feudal corrompida pelo comércio e oferecem como modelo de homens ilustres e que tiveram sucesso o militar conquistador, o barão ladrão e o explorador.

 

VRB – Como os jovens podem ajudar os velhos?

 

George Bernard Shaw – Tudo o que os jovens podem fazer pelos velhos é escandalizá-los e mantê-los atualizados.

 

VRB – Muitos místicos entendem que o sofrimento pode lapidar o ser humano, tornando-o melhor ou pior.

 

George Bernard Shaw – A vida é uma pedra de amolar: desgasta-nos ou afia-nos, conforme o metal de que somos feitos.

 

VRB – As tragédias perturbam os seres humanos, mas, às vezes, servem de motivação para a criação na literatura e nas artes. 

 

George Bernard Shaw – Existem duas tragédias na vida. A primeira é de não conseguir tudo aquilo que desejamos. A segunda é de conseguí-las.

 

VRB – O modo de perceber as coisas influi na nossa compreensão a respeito do mundo.

 

George Bernard Shaw – Alguns homens vêem as coisas como são, e dizem: Por quê? Eu sonho com as coisas que nunca foram e digo: Por que não?

 

VRB – Por que você é vegetariano?

 

George Bernard Shaw – Os animais são meus amigos. E eu não como meus amigos.

 

VRB – As pesquisas feitas com animais em laboratório, ainda que resulte em sofrimento e morte, servem para ampliar o conhecimento científico em benefício do ser humano

 

George Bernard Shaw – Atrocidades não deixam de ser atrocidades quando cometidas em laboratórios e chamadas de pesquisa médica.

 

VRB – Apesar disso, os caçadores se gabam de seus feitos, abatendo os animais a que eles classificam como caças.

 

George Bernard Shaw – Quando um homem quer matar um tigre, chama a isso desporto; quando é o tigre que quer matá-lo, chama a isso ferocidade. A distinção entre crime e justiça não é muito grande.